Resenha: Faca de Água

Minha nota: 
Nome: Faca de Água
Autor(a): Paolo Bacigalupi
Editora: Intrínseca
Livro no Skoob

Um dos maiores medos da humanidade é de que um dia a água se extinga ou chegue a um ponto tão raro que a torne preciosa como uma joia. Essa situação é uma distopia, um apocalipse degradante que tem possibilidades plausíveis de acontecer na vida real. É isso que acontece em Faca de água, um mundo onde a água é o maior motivo de lutas e artimanhas. A seca devastou cidades e cada vez mais está levando outras às ruínas.

Houve um momento em que o rio Colorado era bastante robusto, e, embora ainda tenha bastante água, nada se compara ao que já se fora. Os estados começaram a perceber que precisavam de isolamento para que pudessem impedir de que outros chegassem e levassem suas águas. Fronteiras foram construídas entre os estados dos Estados Unidos. Orgulho de sua pátria? Quase ninguém tinha mais, era cada estado por si. Enquanto algumas pessoas possuíam direitos sênior sobre alguns rios e se esbanjavam de água, outras se prostituíam na esperança de conseguir alguns litros.

Catherine Case é vista pela maioria como uma pessoa ruim, ela mexe todos os pauzinhos possíveis para ganhar direitos sobre grandes quantidades de água. Seus chamados facas de água trabalham para que tudo isso aconteça da melhor forma possível. Seu mais querido faca de água é Angel, um homem que tem a capacidade de um camaleão e consegue camuflar-se em qualquer situação para fazer o que Case manda. Por isso ele é mandado para Phoenix, onde algo está acontecendo e sua chefe quer saber o que é.

A história gira em torno de três pontos de vista: Angel, Lucy e Maria. Lucy é uma jornalista, ela quer por que quer continuar naquela cidade cada vez mais em ruínas, mesmo que tenha passe livre para ir embora. Tempestades de areia estão cada vez mais comuns em Phoenix, a seca está consumindo tudo cada vez mais rápido. Maria, por outro lado, é uma texana e mora com sua amiga Sarah. Os texanos não são tão bem vistos pelos outros, e Maria sabe disso, mas tenta fazer de tudo para poder sobreviver.
Enfrentara a própria morte durante tanto tempo que, àquela altura, ela se tornara a sua melhor amiga.
As cenas das tempestades são tão verossímeis, que me causaram certo arrepio ao lê-las, pois eu conseguia imaginar meus próprios lábios ficando ressecados e de repente parecia que eu também estava lá, em meio ao deserto e da tempestade. É horrível só de imaginar.

Phoenix é o centro da história, onde os três pontos de vista estão começando a se interligar. Alguma coisa está acontecendo na cidade, por isso o faca de água Angel é mandado para lá, que acaba se esbarrando em Lucy, que tenta descobrir a verdade por trás do assassinato de uma pessoa que ela gostava muito. Maria está tentando recuperar o dinheiro perdido com a água e os impostos, por isso resolve acompanhar sua amiga, Sarah, até Tayiang, um local em Phoenix onde ficam os cinco dígitos. Quase um palácio, com água, ar-condicionado, limpeza, como se fosse parte de outro mundo dentro da destruição ao redor.

Lucy está ávida por informações. Houve uma época em que ela não mexia com pessoas poderosas, mas agora ela não estava ligando mais pra nada. Sua cidade estava entrando pelo cano e isso a fazia não pensar muito sobre o que escrevia e publicava. Ela vai descobrir o que está acontecendo, mesmo que isso signifique a sua morte. Angel, no entanto, é uma marionete de Catherine Case e precisa também descobrir os planos dos inimigos.

Os três se cruzam em determinado momento, interligados pelas mortes que estão ocorrendo misteriosamente. Direitos sênior antigos, que vale bilhões de dólares, estão em jogo. Quem põe as mãos nesses direitos, sempre tenta sair na vantagem. Califórnia e Vegas estão lutando para obtê-los, Catherine Case tem seus espiões em todos os lugares e a traição está mais frequente do que tudo. Em quem ela poderia confiar?

Rola um romancezinho entre dois desses três personagens principais, além da própria desconfiança que ocorre entre eles. Um faca de água que pretende fazer tudo para pôr as mãos nos direitos sênior e entregá-los para Case. Duas garotas com mentes diferentes, uma quer que tudo volte ao normal, que Phoenix se reerga do caos, mas a outra não é tão otimista assim, ela ver a verdade. Tudo mudou, nada voltará ao que era antes. A seca vai dominar um dos lados de qualquer maneira, basta ser esperto o bastante para conseguir sobreviver do lado vencedor.

Faca de água é uma distopia com detalhes inacreditáveis, as cenas parecem nos rasgar literalmente como se estivéssemos na pele dos sofredores. Mostra a miséria humana e o quão podemos ser mesquinhos e pensarmos apenas no nosso próprio umbigo. No final, todos estamos à mercê de nós mesmos, sem ajuda nenhuma quando se trata da própria sobrevivência. E é disso que esse livro trata, sobrevivência. Custe o que custar.

Compartilhe

Sobre Marlon Gonçalves

Tenho apenas 19 aninhos e ainda não li nem metade dos livros que quero ler na vida. Acho que é um mal que todos os leitores sofrem. Sou apaixonado por séries, amo escrever várias coisas: livros, poemas, contos, frases e textos para o Tumblr. Vida social? Escolhi não ter...
    Comentários Google+
    Comentários Facebook

0 comentários:

Postar um comentário