Resenha: Welcome to Night Vale

Minha nota: 
Nome: Welcome to Night Vale
Autor(a): Joseph Fink & Jeffrey Cranor
Editora: Intrínseca
Livro no Skoob

Welcome to Night Vale é um livro que temos que embarcar na avalanche de maionese que os autores proporcionam ou ficaremos parados logo de cara, na primeira página. A única forma de entender tudo aquilo, é simplesmente se jogar e seguir o fluxo da história.

Jackie Fierro tem uma loja de penhores em Night Vale, e tem dezenove anos. Não se lembra de quando um dia teve outra idade a não ser aquela; há décadas que tem dezenove anos. Pra ela, tudo tinha um método, sua vida seguia uma rotina diária que nunca se modificava. Ela abria sua loja de penhores quando achava que estava na hora de abrir e fechada da mesma forma. Tudo na loja havia um preço fixo. Tudo custava 11 dólares, independentemente do valor que ela pagava pelas coisas.

Mas então sua rotina é inexplicavelmente alterada quando um homem de paletó bege, do qual não se lembra o nome nem a aparência, penhora um pedaço de papel com as palavras "KING CITY" escritas nele. O papel nunca sai da sua mão, não importa o que ela faça para destruí-lo, ele sempre volta e fala "KING CITY". Ela quer encontrar o homem de paletó bege para devolver o papel, pois ele a está tirando de sua rotina sem que ela possa fazer algo a respeito, como se fosse uma marionete.

Por outro lado, há Diane, que trabalha com banco de dados e tem um filho de 15 anos cuja a aparência muda a todo momento. Uma hora ele é humano, outra hora é um animal, ou até mesmo um objeto inanimado como uma casa pegando fogo. Além disso, os dois moram numa casa, que é e não é parecida com todas as outras casas. É parecida no quesito de ser uma casa, mas é diferente porque aquela casa tem alma e pensamentos, que muitas vezes são sussurrados para os seus moradores enquanto os mesmos estão dormindo ou até tomando banho.

Entre alguns capítulos também tem a Rádio Comunitária de Night Vale, onde Cecil informa as notícias e outras coisas da cidade, como as atualizações sobre o trânsito ou as mensagens dos patrocinadores. Cecil também tem um namorado cientista e os dois estão muito apaixonados.

Diane acha que tem alguma coisa errada em seu ambiente de trabalho, suas lembranças parecem não bater com as lembranças dos outros. Ela está confusa, será que está ficando louca? Ela tem certeza de que existia um Evan trabalhando no escritório, mas só ela é capaz de lembrar dele, ninguém mais se lembra. Porém, é difícil para ela não parecer louca, visto que não há indícios de que algum dia houve alguém chamado Evan trabalhando ali.

Jackie já havia saído da rotina completamente, pois não abriu a loja de penhores como fazia todos os dias. Ela decidiu ir à casa de Josie, onde os anjos também moravam. Todos os anjos tinham aparência indescritíveis e se chamavam Erika. Josie diz que o homem de paletó bege e mala de couro de veado vem de uma cidade muito perigosa, mas Jackie não pode mais viver daquele jeito, ela precisa encontrá-lo para devolver o papel. Em busca de respostas para poder descobrir quem ele era, Jackie vai ter que ir a lugares muito perigosos. Porém, ela descobre que não é a única no mesmo barco e que muitas pessoas de Night Vale receberam aqueles mesmos bilhetes misteriosos com as palavras "KING CITY".

Mas quem é o cara de paletó bege e mala de de couro de veado que está distribuindo papéis pela cidade? Ninguém lembra seu nome ou sua aparência, mesmo que você tente muito se lembrar dele, não conseguirá. Talvez você até tenha o visto por aí, mas com certeza não lembraria. É nesse meio que as histórias de Diane e de Jackie se encontram. As duas estão buscando respostas para os mistérios de suas vidas.

Diane era a única pessoa que conseguia se lembrar de Evan, ou será que o nome dele não era Evan? Não sei, não me lembro muito bem de nada sobre aquele homem, ele tem esse efeito na memória das pessoas. Acho que já mencionei isso, mas é bom relembrar, que Diane era a única pessoa que conseguia se lembrar dele. Ela também lembrava do seu paletó bege.

Diane e Jackie, mesmo depois de discutirem bastante, resolvem se juntar para procurar respostas no último lugar do qual imaginariam ter que ir: a biblioteca. Quase ninguém sobrevivia à biblioteca para contar a história, era um lugar horrível e todos morriam de medo de entrar lá. Os bibliotecários eram criaturas cruéis, mas mesmo assim elas precisavam de respostas, e não há nada pior do que ficar sem respostas na vida, nem mesmo os bibliotecários. Havia algo de errado, dissera Evan à Diane, mas o que ela poderia fazer para ajudá-lo se ninguém mais lembrava dele, além dela?
Veja bem, a vida é interessante. Isso vale para qualquer lugar. Mas a vida em Night Vale é ainda mais. Há coisas espreitando nas sombras. Não as projeções de uma mente aflita, mas Coisas literais, espreitando, literalmente, nas sombras.
A narrativa faz muitas críticas de coisas que vivemos no dia a dia, como a ilusão de nos apaixonarmos "para sempre", sobre política, ou sobre relacionamentos de pessoas do mesmo sexo. Além disso, em alguns momentos têm diálogos com coisas não ditas, algo que eu nunca li em nenhum outro livro. Eles também fazem afirmações totalmente contraditórias e os personagens mudam do nada, sem explicação, ou têm vários clones. Como eu disse, é uma viagem bem louca, mas ao mesmo tempo relaxante e divertida. Precisamos embarcar em Night Vale com a mente completamente aberta à coisas totalmente mirabolantes.


Compartilhe

Sobre Marlon Gonçalves

Tenho apenas 19 aninhos e ainda não li nem metade dos livros que quero ler na vida. Acho que é um mal que todos os leitores sofrem. Sou apaixonado por séries, amo escrever várias coisas: livros, poemas, contos, frases e textos para o Tumblr. Vida social? Escolhi não ter...
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Tinha me interessado em ler esse livro pela capa, #shame, e não sabia absolutamente nada sobre a história dele, mas fiquei muito intrigada com a história pelo que escreveu na sua resenha, que aliás está ótima, e agora quero ainda mais ler.
    Abraços, Thaís
    https://sentiliterarios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo que você gostou! *-* É um livro super recomendado para sair da zona de conforto e da realidade! <3

      Excluir